Zoe e o futuro dos relacionamentos amorosos

"Her", "Black Mirror" e agora Zoe, nova produção da Amazon Prime: será que a tecnologia vai interferir ainda mais nos relacionamento amorosos?

Vimos em “Her“, filme de 2014 de Spike Jonze, a história de um homem que se apaixona por um sistema operacional chamado Samantha. A trama colocou em pauta as novas maneiras das pessoas se relacionarem, na era da internet e da tecnologia, e no que isso pode se transformar.

 

 

Alguns anos depois, um episódio da série da Netflix “Black Mirror” chamou a atenção por tratar do mesmo tema de uma maneira um pouco diferente. Em “Hang the DJ” (2017) a ideia é que no futuro as pessoas só darão uma chance para o amor caso um aplicativo de relacionamentos aprove sua compatibilidade.

 

 

Mais uma vez a teoria foi amplamente analisada, e muita gente questionou a influência que a inteligência artificial possui sobre os humanos – quantas pessoas se deixam levar por esse tipo de análise, que teoricamente se sobressai ao sentimento mais puro que possuímos, o amor.

E eis que agora a Amazon Prime, concorrente direta da Netflix, providenciou a trama de ficção científica “Zoe“, que explora a história do amor proibido entre Zoe (Léa Seydoux) e Cole (Ewan McGregor), em um centro de pesquisa avançada que combinam os humanos com seus pares ideais – incluindo criações “sintéticas” de pessoas. A direção é de Drake Doremus (“Quando Te Conheci”) e estreia na plataforma está programada para 20/07. Confira o trailer…

 

Foto: Frame

Posts Relacionados

Deixe um comentário