Nova edição da Vogue britânica editada pela Duquesa de Sussex

A edição de setembro da Vogue britânica foi editada por ninguém menos que Meghan Markle, a Duquesa de Sussex, que escolheu 15 mulheres pra representarem as "forças para a mudança", como anuncia a capa da publicação.

As reviravoltas na vida de Meghan Markle continuam após se casar com o Príncipe Harry e dar à luz seu primeiro filho. Enquanto estava de licença maternidade, a Duquesa de Sussex se dedicou a um projeto importante e inédito: foi a primeira mulher da realeza a editar a revista Vogue britânica.

A edição de setembro, considerada a mais importante do ano dentre as publicações de moda, acaba de sair do forno e apresenta um time de 15 mulheres escolhidas por Meghan para representar as “forças para a mudança“, conforme a chamada de capa.

 

 

Da esquerda pra direita, na primeira fileira: a modelo sudanesa e refugiada Adut Akech; a atriz Gemma Chan que luta pelo fim do favoritismo racial em Hollywood; a jovem ativista sueca que luta contra o aquecimento global Greta Thunberg; a atriz Jameela Jamil, que defende o body positivity em outra conta do Instagram.

Seguimos na segunda fileira com a escritora feminista Chimamanda Adichie; a modelo Adwoa Aboah, que promove campanhas a favor da saúde mental e é fundadora de uma comunidade online para mulheres chamada Gurls Talks; a primeira-ministra neozelandesa Jacinda Ardern, que recepcionou o Duque e a Duquesa de Sussex na visita oficial da realiza britânica à Nova Zelândia, e reconheceu uma “real empatia” por Meghan.

Na terceira fileira: a bailarina Francesa Hayward, nascida no Quênia e principal dançarina no remake de Cats; a lutadora de boxe naturalizada inglesa Ramla Ali; a modelo veterana Christy Turlington, que realiza campanhas contra a morte de mães que acabaram de dar a luz; a atriz Salma Hayek, ativista a favor dos direitos das mulheres.

E pra fechar, na última fileira estão Sinéad Burke, ativista irlandesa; a atriz Jane Fonda, por sua voz ativamente política; a atriz de “Orange is the New Black” Laverne Cox, por sua luta pelos direitos LGBT; e a norteamericana Yara Shahidi, fundadora do Eighteen x 18, projeto que foca no engajamento de jovens na política.

Reparou que tem um quadradinho sobrando ali no meio das 15 mulheres? O espaço vazio, com efeito espelhado, serve para refletir a imagem das leitoras mulheres, que poderão se incluir nesse time de mulheres “unidas por sua coragem rompendo barreiras”, nas palavras da Duquesa. No recheio da publicação ainda tem uma entrevista exclusiva com Michelle Obama, conduzida pela editora convidada.

O processo da edição durou sete meses, portanto desde antes do nascimento do bebê Archie. O editor-chefe da revista, Edward Enninful, afirmou que houve um debate sobre incluir Meghan como uma das mulheres da capa, mas ela acabou decidindo por não aparecer. “No fim, ela achou que seria arrogante fazer isso para o projeto em particular. Ela queria se concentrar nas mulheres que admira.”

Fotos: Reprodução

Posts Relacionados

Deixe um comentário