Hoje em dia, a conquista de um grande número de seguidores nas redes sociais é um indicador importante para se avaliar a popularidade de uma pessoa. Mesmo que não sejamos celebridade, temos que admitir que ninguém está imune ao desejo de ser apreciado – vai dizer que você não sente um certo prazer a cada curtida que recebe? Pois saiba que o impacto da popularidade vai além do que imaginamos e pode influenciar até a nossa saúde! Cientistas da Universidade de Brigham Young, em Utah, nos EUA, acompanharam as atividades de 38 mil pessoas nas redes sociais em todo o mundo, por 20 anos, e descobriram que o simples fato de se ter amigos aumentou a sobrevivência dos participantes em 50% – o mais incrível foi que a taxa subiu para 91% entre os participantes que se socializaram ativamente! O estudo faz parte do livro “Popular”, do psicólogo americano Mitch Prinstein, que recentemente declarou ao jornal britânico The Sunday Times: “a rejeição social tem um efeito drástico sobre nosso organismo e pode desativar um pequeno número de genes ligados ao nosso sistema imunológico”. Segundo ele, essa reação tem sua origem na era das cavernas, quando os caçadores-coletores impopulares eram isolados pela sua tribo. Sem um grupo para protegê-lo, o homem primitivo ficava mais vulnerável às doenças e aos ataques dos animais e estava condenado a morrer sozinho. O psicólogo diz que a mesma resposta é desencadeada quando somos bloqueados no Facebook ou quando ninguém curte nossas publicações do Instagram. Eita…

Foto: Reprodução

Regina Lemos é uma advogada apaixonada por moda e beleza. Ela é colaboradora assídua do Blog do MorumbiShopping.