Uma pessoa perfeccionista, além de estabelecer padrões elevados para seu trabalho está sempre em busca de se superar e de se aperfeiçoar. O problema surge quando a busca pela perfeição acaba se transformando em uma obsessão capaz  de causar bloqueios de produtividade e até problemas de saúde. Segundo o psicólogo britânico Don Hamachek, autor de diversos livros sobre comportamento humano, existem dois tipos de perfeccionistas: os normais e os neuróticos. A diferença entre eles está, basicamente, nos padrões de exigência. Enquanto os perfeccionistas normais são capazes de aceitar uma menor precisão em determinadas atividades, os neuróticos se cobram sempre um desempenho praticamente inatingível, eles são incapazes de relaxar seus altíssimos padrões. E sabe o resultado disso? Um tiro no próprio pé! Nessa eterna busca pela perfeição o neurótico se submete a uma autocrítica negativa, passa a temer o fracasso e acaba bloqueando sua produtividade. Pesquisas recentes sugerem ainda que o perfeccionismo gera stress crônico, ansiedade, angústia e pode acabar minando as relações interpessoais. Ou seja, se você se reconheceu nessa descrição… relaxa aí!

Foto: Getty Images e Giphy

Regina Lemos é uma advogada apaixonada por moda e beleza. Ela é colaboradora assídua do Blog do MorumbiShopping.