Já notou que quanto mais velho ficamos, mais forte bate a ressaca? Se antigamente não tinha bebedeira que nos abalasse, hoje basta um drink além da conta pra pedirmos a morte no dia seguinte! O pior de tudo é que esse é um fato, e não invenção de mentes bêbadas – nosso metabolismo se torna mais devagar com o passar do tempo, o que retarda também nossa recuperação.

“O fígado é o motor da desintoxicação natural do corpo”, ilustrou Dr. Fred Pescatore em entrevista ao site She Knows, lembrando que o órgão processa e filtra toxinas presentes na corrente sanguínea, como o álcool, por exemplo. À medida em que envelhecemos, esse processo se torna menos eficiente, nosso sangue demora mais para ser limpo, e portanto sofremos ressacas bem mais longas e ferozes do que gostaríamos.

A boa notícia é que existem meios de minimizar esse mal estar seguindo alguns passos antes de encher a cara – não soa tão divertido quanto as bebedeiras da juventude, mas de qualquer forma, é melhor prevenir do que remediar, certo?

. Beba bastante água antes de começar a ingerir álcool.
. Coma antes de beber. O álcool é absorvido mais rápido quando estamos de estômago vazio.
. Escolha bebidas com menos congêneres (cervejas de cor clara e vinho branco). Esses são conhecidos por causar menos ressaca do que bebidas com mais congêneres (uísque, cervejas escuras e vinho tinto). Os congêneres são componentes biologicamente activos presentes em bebidas alcóolicas.
. Beba um copo de água entre um drink e outro.
. Antes de dormir, tente ingerir uma garrafa ou das de bebidas com eletrólitos, como Gatorade ou água de côco.
. Se não conseguir ingerir a bebida com eletrólitos antes de dormir, faça isso antes do café-da-manhã.

Se pular todas essas etapas, não esqueça da receita de suco anti-ressaca pra aliviar!

Foto: Getty Images

Da Redação